Mulheres e educação em debate

rupturas e permanências

Autores

  • Gabrielle Carla Mondego Pacheco Pinto Universidade Estadual do Rio de Janeiro - UERJ

Palavras-chave:

Educação para mulheres, Nação republicana, Pós-estruturalismo, Rupturas, Permanência

Resumo

Este trabalho propõe uma breve apresentação dos movimentos de ruptura e permanência na história da educação das mulheres no Brasil, considerando, inicialmente, os projetos de civilização da nação republicana (início do século XX) e ainda a finalidade de uma educação para mulheres em uma perspectiva pósestruturalista, cotejando as diferenças nos aspectos que definem seus objetivos e condições, as quais estabelecem relação direta com o tempo presente e a segmentação até então vigente no cerne educacional. Para este estudo elegemos a metodologia de análise de fontes históricas, bem como o cruzamento de fontes, pois operam de modo a permitir a observação dos tópicos tencionados no decorrer da pesquisa, evitando o anacronismo e a tomada de um monumento. Ademais, este trabalho busca inserir-se nos estudos que privilegiam a história das mulheres no Brasil e na historiografia da educação para mulheres, especialmente neste momento de emergências e incertezas, quando mulheres educam-se, mais uma vez, para educar.

Biografia do Autor

Gabrielle Carla Mondego Pacheco Pinto, Universidade Estadual do Rio de Janeiro - UERJ

Professora de Língua Inglesa da SME/RJ; Proped/UERJ

Downloads

Publicado

2021-09-22

Como Citar

MONDEGO PACHECO PINTO, G. C. . Mulheres e educação em debate: rupturas e permanências. Seminário Virtual da Mulher, [S. l.], 2021. Disponível em: https://anais.eventos.iff.edu.br/index.php/svmulher/article/view/40. Acesso em: 17 jul. 2024.