Como conservar os peixes ameaçados da extinção na região do domínio das Ilhas Fluviais

"Arca de Noé" contemporânea - etapa II

Autores

  • Marcos Sarmet Moreira de Barros Salomão Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro
  • Caio de Souza Pereira Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro
  • Viviane Ribeiro Mulim Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro
  • Dara Rodrigues Gomes Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro
  • Filipe Fonseca Granja Barros Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro
  • Guilherme Souza Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro
  • Carlos Eduardo Veiga de Carvalho Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro

Palavras-chave:

Projeto Piabanha, Espécies ameaçadas, Peixe marcado

Resumo

Este projeto é uma colaboração entre a UENF e o Projeto Piabanha, organização não-governamental situada em Itaocara-RJ. O principal objetivo é o repovoamento com espécies de peixes ameaçadas de extinção da bacia do Rio Paraíba do Sul (RPS): Brycon insignis (piabanha), Prochilodus vimboides (grumatã) e Steindachneridion parahybae (Surubim-do-Paraíba). A fim de reestabelecer populações em seu ambiente natural foi formado e é mantido um banco genético vivo (Banco Ex-situ), na sede do Projeto Piabanha em colaboração com o Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Peixes Continentais - ICMBIO. Nos meses de novembro a fevereiro ocorrem as reproduções induzidas das espécies focais. Em seguida as larvas vão para os tanques berçários e passam a ser monitoradas. A partir do sétimo dia, agora na fase de juvenil, os peixes são medidos e pesados (biometria) semanalmente. Após atingirem o comprimento médio de 15cm, os peixes são marcados, com anilhas numeradas, e soltos na região do Domínio das Ilhas Fluviais do RPS. Paralelamente as solturas ocorre a divulgação das informações em rádios, jornais/boletins e nas mídias sociais. A comunidade é convidada a participar, de forma que quando os peixes são capturados, os pescadores possam repassar as numerações das anilhas, assim como ostamanhos e as localidades em que os peixes foram capturados. Assim, é possível inferir o desenvolvimento dos peixes no ambiente natural.

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2022-07-08

Como Citar

SARMET MOREIRA DE BARROS SALOMÃO, M. .; SOUZA PEREIRA, C. de; RIBEIRO MULIM, V. .; RODRIGUES GOMES, D. .; FONSECA GRANJA BARROS, F. .; SOUZA, G. .; VEIGA DE CARVALHO, C. E. . Como conservar os peixes ameaçados da extinção na região do domínio das Ilhas Fluviais: "Arca de Noé" contemporânea - etapa II. Mostra de Extensão IFF - UENF - UFF - UFRRJ, [S. l.], v. 13, 2022. Disponível em: https://anais.eventos.iff.edu.br/index.php/mostradeextensao/article/view/851. Acesso em: 13 jul. 2024.