Distribuição de sementes de milho-pipoca para assentados do Zumbi dos Palmares, Campos dos Goytacazes

avaliação preliminar da transferência de tecnologia

Autores

  • José Gabriel de Souza Silva Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro
  • Carolina Macedo Carvalho Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro
  • Danielle Leal Lamêgo Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro
  • Sérgio Barros da Silva Júnior Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro
  • João Sávio Monção Figueiredo Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro
  • Darla Laterça Maciel Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro
  • Valeria Barros Costa Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro
  • Thâmara Figueiredo Menezes Cavalcanti Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro
  • Samuel Henrique Kamphorst Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro
  • Valter Jário de Lima Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro
  • Antônio Teixeira do Amaral Junior Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro

Palavras-chave:

Agricultura, Cultivo, Variedade UENF14

Resumo

Extensionistas do Setor de Milho-pipoca da UENF, descobriram que, mensalmente, mais de cinco toneladas de grãos são estourados e vendidos pelos pipoqueiros de Campos dos Goytacazes. Este grão é importado, vez que não há produção local. O desconhecimento sobre a cultura e a dificuldade para aquisição das sementes foram as principais razões para ausência do cultivo no Assentamento Zumbi dos Palmares, local alvo de nossas ações. Para transpor esses entraves, distribuiu-se sementes melhoradas da variedade UENF14 para 36 agricultores da comunidade (setembro/2020), de forma a popularizar a cultura agrícola e de transferência de tecnologia. Diante do exposto, apresenta-se resultados preliminares dessas ações após oito meses de distribuição das sementes e da motivação via mídias pelo WhatsApp. Via ligações telefônicas, aplicou-se questionário semiestruturado interrogando aspectos relacionados ao cultivo e/ou não-cultivo das sementes. O sucesso no contato telefônico com os agricultores foi de 50% (18). Sabe-se da cobertura limitada da rede telefônica em algumas áreas da comunidade, dificultando o contato. Dos entrevistados, 50% (9) realizaram o plantio e 39% (7) chegaram até a colheita. Entre aqueles, 50% (9) que não cultivaram, a falta de tempo foi a causa. Além disso, 83% (15) dos entrevistados relataram interesse em continuar no Projeto de Extensão, cultivando o milho-pipoca. Perspectivas de atuação, quando possíveis, contemplam visitas de caractere técnico presenciais, redistribuição de sementes, inclusão de mais agricultores ao projeto e a identificação de desafios e oportunidades para construção de uma cadeia produtiva de milho-pipoca na região.

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2022-07-08

Como Citar

SOUZA SILVA, J. G. de .; MACEDO CARVALHO, C. .; LEAL LAMÊGO, D. .; BARROS DA SILVA JÚNIOR, S. .; MONÇÃO FIGUEIREDO, J. S. .; LATERÇA MACIEL, D. .; BARROS COSTA, V. .; FIGUEIREDO MENEZES CAVALCANTI, T. .; KAMPHORST, S. H. .; LIMA, V. J. de; TEIXEIRA DO AMARAL JUNIOR, A. . Distribuição de sementes de milho-pipoca para assentados do Zumbi dos Palmares, Campos dos Goytacazes: avaliação preliminar da transferência de tecnologia. Mostra de Extensão IFF - UENF - UFF - UFRRJ, [S. l.], v. 13, 2022. Disponível em: https://anais.eventos.iff.edu.br/index.php/mostradeextensao/article/view/1443. Acesso em: 19 jul. 2024.